Cólica, não!

22/02/2018

 

Os pais ficam ansiosos pela saída da maternidade e chegada do bebê em casa, tê-lo naquele quartinho todo decorado com muito carinho, mas nada é igual a um comercial de TV. Os dias vão passando e o bebê começa a chorar muito, não conseguir dormir e deixar todos em casa sofrendo com ele: são as famosas cólicas!

 

Por que isso acontece? Porque apesar do bebê ficar prontinho para nascer aos 9 meses, seu intestino só estará prontinho mesmo quando ele estiver próximo de completar 2 anos de idade. E durante esse tempo a alimentação dele fará toda diferença nesse processo de amadurecimento e surgimento de situações como as cólicas.

Vamos a algumas informações que podem ajudar muito nessa situação:

  • Primeira forma de evitar esse problema: amamentação.

Através do leite materno o bebê recebe probióticos, que são bactérias que fazem bem ao nosso organismo e ajudam na digestão e absorção dos alimentos, além de manter a saúde do intestino. É muito mais difícil uma criança amamentada ter esse tipo de incômodo, porque além do leite materno ser o alimento de melhor digestão para o bebê ele ainda conta com vários reforços de imunidade além, dos probióticos.

  • Mas e quando não é possível amamentar?

Nesse caso se utilizam fórmulas infantis, que vão variar para tentar atender as dificuldades de cada criança (cada pessoa tem uma característica, um desenvolvimento e necessidades específicas) e o erro acontece por se achar que elas substituem o leite materno. Infelizmente elas não substituem, nada conseguiu até hoje substituir o leite materno em qualidade. Ele é muito superior que qualquer fórmula. Mas elas tendem a se aproximar, para atender as crianças que por algum problema de saúde seu ou de sua mãe, estão impossibilitadas de serem amamentadas.

  • Quem melhor pode indicar a fórmula adequada? Um nutricionista.

Porque ele é o profissional que conhece tudo sobre um alimento e o que esse alimento faz no organismo. Ele é o profissional que irá adequar a fórmula ao organismo do seu bebê, porque pra cada bebê há uma necessidade diferente e exclusões alimentares podem levar a vários problemas de saúde no futuro, se não estiverem sendo feitas sob orientação de um profissional.

  • Existe algo que possa ser dado além do leite ou da fórmula?

Lembra que falei sobre o leite materno possuir probióticos, que são as bactérias que ajudam nosso corpo a funcionar melhor? Ás vezes a alimentação da mãe e o seu organismo não conseguem fornecer uma quantidade total que uma criança pode precisar e nem todas as fórmulas possuem probióticos e mesmo quando possuem também podem não ser suficientes. Nesses casos, o nutricionista novamente entra em ação. Ele pode receitar probióticos específicos que ajudam a melhorar a digestão dos alimentos, controlam o processo de fermentação e diminuem a produção de gases. E como por mágica, o bebê volta a dormir tranquilo trazendo paz ao lar.

 

Existem várias fórmulas infantis e vários tipos de probióticos. Os probióticos podem ser adquiridos prontos, vendidos em farmácias comuns ou podem ser manipulados pelo nutricionista, e assim oferecer um produto mais adequado a criança.

Existe solução para cólica do bebê, mas o acompanhamento do nutricionista se torna fundamental para auxiliar na alimentação, adequar a utilização da fórmula, se esta for necessária, e passar o probiótico adequado tanto no tipo quanto na dose, que trará benefícios com segurança para os pais e seus filhos.

Please reload

Rua Santo Afonso, 44, Sala 801, Tijuca

Rio de Janeiro, RJ, CEP 20511-170

(21) 2143-4599

(21) 2254-8186

(21) 99144-5442

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

luciananovaes.com © 2014  Todos os direitos reservados.