Afinal de Contas, Frutose Faz Mal?

31/08/2017

 

Hoje, no Dia do Nutricionista, nada mais oportuno do que esclarecer uma dúvida e passar um conhecimento de forma crítica, para tentar consertar situações criadas por pessoas que acham que entendem sobre a Ciência da Nutrição.

 

Por esses dias, as redes sociais foram invadidas por um vídeo onde uma celebridade dava dicas de alimentação e informações sobre a frutose. Extremamente equivocada em suas considerações, criadas a partir de informações soltas, comportamento comum de pessoas que não possuem conhecimento sobre um assunto em debate, ela conseguiu espalhar mais uma vez um terrorismo sem sentido em cima dos alimentos.

 

Para ajudar a entender essa questão, vou explicar de forma simples sobre a frutose. Afinal de contas, o que é essa frutose? É açúcar, é gordura, faz mal?

Bem, a frutose é um açúcar, um carboidrato importante, presente no nosso organismo e em plantas, principalmente em frutas.

 

A frutose faz parte da sacarose, que é o açúcar comum que conhecemos. Na década de 70, através de procedimentos químicos, se extraiu a frutose da sacarose. Com isso aumentou na indústria o processo de produção de frutose livre e seu preço caiu drasticamente. E aí surgiu o xarope derivado de amido, rico em frutose, sendo o mais comum o xarope de milho, largamente utilizado pela indústria americana. De repente a frutose começou a entrar em vários produtos, como adoçante de bebidas, frutas industrializadas, alimentos de confeitaria, e é aí que se tem problemas.

 

A quantidade de frutose livre na fruta, por exemplo, é de 1% a 2% do seu peso. Enquanto que bebidas e frutas industrializadas possuem em torno de 4% a 8% de frutose livre, e alimentos de confeitaria podem chegar a 11%! Vejam a diferença na quantidade em um fruta e em um produto industrializado.

 

O que isso significa? Na prática nutricional, a ingestão moderada de frutose, vinda dos alimentos naturais, tem efeito benéfico ao organismo, sendo fornecedor de energia. Mas, a quantidade contida em produtos industrializados e o consumo exagerado desses produtos, contribui sim para que esse açúcar em excesso seja armazenado no nosso corpo sob a forma de gorduras. Inclusive, porque os alimentos industrializados não possuem apenas grandes quantidades de frutose: somam-se a ela grandes quantidades de sódio, gorduras saturadas, conservantes e corantes, fazendo uma verdadeira bagunça no nosso corpo.

 

Por esse motivo, comer fruta em quantidades adequadas, que podem variar de 3 a 5 porções ao dia, dependendo do tamanho e atividade de cada um, trará grandes benefícios como fornecer energia, vitaminas e minerais importantes, fibras e ser também fonte de hidratação. Evite o consumo de alimentos como frutas enlatadas, geleias, doces em pasta, bolos, pudins, pó para bebidas, refrigerantes etc.

 

Os estudos apontam que o consumo de frutose vinda de frutas e hortaliças não deve ser desencorajado, pois sua ingestão é considerada segura e saudável. Portanto, dê atenção a informações sobre os alimentos vindas de quem realmente estuda o assunto, possui compreensão melhor sobre e tem uma visão mais ampla da alimentação e de produtos industrializados. O resto, é só terrorismo de quem quer ter seus 5 minutos de fama na televisão.

Please reload

Rua Santo Afonso, 44, Sala 801, Tijuca

Rio de Janeiro, RJ, CEP 20511-170

(21) 2143-4599

(21) 2254-8186

(21) 99144-5442

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

luciananovaes.com © 2014  Todos os direitos reservados.