Quando a alimentação vira piada

18/10/2015

 

 

Estava vendo a linha do tempo em uma das redes sociais que uso quando me deparei com mais uma caricatura da apresentadora de TV que gostaria de um dia ser nutricionista no Brasil. Isso me fez refletir sobre a quantidade de absurdos que vemos hoje em dia sobre práticas e sugestões de alimentação saudável. Absurdos esses que qualquer um consegue perceber que há um certo exagero nas recomendações e faz dessas piadas uma crítica de modo muito inteligente e engraçado. Sim, não é a população que faz a piada. Como se diz por aí, essas recomendações feitas por pseudosprofissionais capacitados já se tornam a piada pronta.

 

O que dizer da recomendação de que comer fruta crua no inverno favorece a pessoa a pegar gripe, ou que o consumo de arroz, feijão e carne não é uma boa combinação porque as proteínas atrapalham a digestão, feitas pela apresentadora que quer ser nutricionista no Brasil? Ou das recomendações de musas fitness de que o dia só começa se você tomar suco verde ou como é imprescindível que você confira os valores nutricionais de qualquer alimento e eles não podem ter sódio, proteína, gordura trans, glúten, lactose, mesmo que você não saiba nada de metabolismo, bioquímica e nem saiba porque deve evitá-los?

 

 

Nesse momento Pedro Escudero deve estar se revirando, porque a pessoa fala de alimentação e não dá muita importância a quantidade, qualidade, harmonia e adequação. A individualidade de cada um também não é levada em conta, as características sociais e culturais também não parecem ser uma preocupação. Tudo aquilo que você aprendeu com seus pais e seus avós são tratados como práticas ridículas e inadequadas. É isso: jogue fora toda sua identidade, os alimentos e o modo de comer que te dá identidade; passe a comer e a ter todos os hábitos de pessoas de outras comunidades, outras regiões e melhor, de outros países. Vivemos no momento da alimentação-religião, onde cada infração alimentar te levará para viver no eterno sofrimento dos pecadores.

 

Com meu pouco conhecimento - de alguém que estudou por 4 anos sobre alimentação, faz pós e mestrado no intuito de aprender um pouco mais, que já atendeu pessoas em hospitais, postos de saúde, consultório e percebe que quanto mais estuda mais a vida mostra o pouco que sabe e que tem um longo caminho a percorrer - consigo te dizer que nós temos hábitos alimentares que são diferentes e cada um de nós constrói essa identidade alimentar com o que aprendemos com nossa família, com aquilo que estava disponível na nossa casa e com o que as pessoas a nossa volta compartilham conosco. Que algumas coisas podem ser trocadas por outras que podem ser, em algumas situações, melhores ou alguns alimentos podem ser modificados na sua quantidade ou na sua forma de serem preparados e que se você fizer isso aos poucos, terá uma boa chance de adquirir novos hábitos que te ajudarão a viver com mais saúde, sem que você perca sua identidade como pessoa. E assim, você estará aumentando seu conhecimento sobre si mesmo e já preparando novos hábitos e costumes para as futuras gerações de sua família.

 

Quer aprender como se alimentar melhor, ou como fazer substituições de acordo com os seus hábitos e suas possibilidades? Procure um nutricionista. Quer saber mais sobre cada tipo de alimento? Pergunte a um nutricionista. Quer ensinar as pessoas como elas devem se alimentar? Faça uma faculdade de nutrição.

 

Aos outros, deixamos nossas piadas de protesto e comunicamos que eles conseguiram se tornar conhecidos. Se esse era o objetivo: parabéns!

Please reload

Rua Santo Afonso, 44, Sala 801, Tijuca

Rio de Janeiro, RJ, CEP 20511-170

(21) 2143-4599

(21) 2254-8186

(21) 99144-5442

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

luciananovaes.com © 2014  Todos os direitos reservados.