Dietas da Moda

03/02/2015

A cada estação recebemos a notícia de algum alimento milagroso. E aí ele vira a nova dieta da moda: se consumido fornece tudo que se precisa e emagrece.

Vamos parar para pensar? Se fosse assim não estaríamos enfrentando uma epidemia de obesidade e de doenças crônicas.

 

Mês passado li em uma revista de grande circulação sobre o mais novo queridinho de Nova Iorque. O caldo de ossos. Está sendo consumido com a promessa de oferecer quantidades enormes de nutrientes e ser uma opção para um estilo de vida saudável. Ele é apenas água fervida com ossos de diferentes animais, onde ás vezes, se coloca ervas e legumes. Mas não é apenas ferver os ossos, eles falam que fervem eles de 4h até 48h, para se extrair o colágeno e outros nutrientes.

 

Lógico que essa sopa terá algum valor nutricional. Mas não substitui-rá uma refeição completa e nem trará tantos benefícios como está sendo propagada. Só vi uma lucratividade nela: para o bolso dos restaurantes que estão cobrando $3,50 por um copo.

 

Essa vai ser mais uma a se juntar as outras.

Vamos lembrar de algumas?

 

- Dieta do óleo de coco. Prometia aumentar a saciedade e acelerar o metabolismo.

A gordura do óleo de coco é em grande parte gordura saturada. É uma gordura como outra qualquer, não fazendo o que prometia e ainda por cima, com risco de um consumo exagerado aumentar as taxas de LDL no sangue.

 

- Dieta do óleo de canola. Prometia o mesmo que o óleo de coco.

Provoca saciedade por ser altamente energético, mas como qualquer óleo e gordura, seu consumo em excesso pode levar ao aumento de peso.

 

- Dieta da papinha de bebê (Hollywood). Prometia que o consumo de 14 potes de papinha por dia ofereceria tudo que se precisa e provocaria um emagrecimento.

Emagrece por ter poucas calorias, mas não oferece os nutrientes que um adulto precisa. Pode levar a desnutrição e problemas na mastigação, já que o alimento vem batido.

 

- Dieta do vinagre. Prometia que seu consumo antes das refeições acelerariria o metabolismo.

Nunca foi apresentado uma evidência disso e seu consumo em excesso pode levar a irritações gástricas.

 

- Dieta do limão. Prometia aumentar a saciedade e acelerar o metabolismo e a queima das calorias.

Pode até aumentar a saciedade, mas não influencia no metabolismo e seu consumo em excesso pode levar a irritações gástricas, como o vinagre.

 

- Dieta das proteínas. Prometia emagrecimento pois queima a gordura já armazenada no corpo para promover energia.

Emagrece sim, mas leva a grandes deficiências nutricionais. Há perdas importantíssimas de vitaminas e minerais pela falta de consumo de frutas, legumes e verduras. Causa fraqueza, cansaço, dores de cabeça,a pele e o cabelo ficam secos e sem vida, entre outros distúrbios pela falta do carboidrato nas refeições.

 

- Dieta do tipo sanguíneo. Criada pelo Peter James D’Adamo, um médico americano, que dividiu as pessoas em categorias: As de sangue “O” seriam carnívoras, as de sangue A seriam vegetarianas, as de sangue B seriam onívoros e as AB, uma junção das duas últimas.

Além de não possuir comprovação científica, ela é mais uma dieta que cria restrições a grupos de alimentos, o que contribui para a deficiência de nutrientes no organismo.

 

- Dieta ortomolecular. Baseada na medicina ortomolecular, que diz que a prevenção de várias doenças é feita através de um equilíbrio químico, onde seu utiliza para esse fim grandes doses de vitaminas, minerais e hormônios.

Também sem comprovação científica. E o excesso do consumo de vitaminas e minerais pode ser tão prejudicial quanto a falta deles no organismo. 

 

- Dieta Detox. Atribuia que uma ingestão de poucos alimentos e grandes quantidades de líquidos "limparia" o organismo das toxinas.

Sabe aquela história de "pegar o bonde andando"? Foi isso que aconteceu. O processo de detoxificação é muito mais complexo do que se apenas ingerir líquidos. Não é uma dieta. É uma ferramenta, que deve ser utilizada apenas por nutricionistas, onde se melhora o funcionamento do fígado e do intestino para que estes possam trabalhar melhor, e conseguirem ser mais eficientes no seu trabalho de eliminação de toxinas, que já estão no organismo e precisarão ser eliminadas. Não é feita por longo tempo e não é feita sem suplementação.

 

- Dieta dos pontos. Os calorias são transformadas em pontos e a pessoa conta essa pontuação para controlar a quantidade do que se come.

Não foca uma alimentação nutricionalmente equilibrada. A pessoa pode ingerir a pontuação determinada utilizando apenas alimentos calóricos, ricos em gorduras, açúcares e sódio. Além de ser trabalhosa, pois tem que toda hora olhar a tabela e anotar os pontos do que se estiver consumindo.

 

Enfim, sabe o que funciona? Uma reeducação alimentar.
Saber quais são as melhores escolhas pro seu organismo (que é único), comer com prazer, em quantidades adequadas ao seu bem estar. Comer de todos os grupos, pois nós precisamos de carboidratos, proteínas e gorduras, em proporções individuais para cada um e a exclusão de um deles da alimentação levará a deficiências que serão uma cascata de distúrbios indesejáveis.

 

O mais importante: Não faça testes com o seu corpo. Você só tem um e uma grande responsabilidade de manter ele funcionando bem. Não caia na tentação de fazer uma dieta da moda. Sua vida vale mais do que um corpo na capa de revista.

 

Luciana Novaes

Please reload

Rua Santo Afonso, 44, Sala 801, Tijuca

Rio de Janeiro, RJ, CEP 20511-170

(21) 2143-4599

(21) 2254-8186

(21) 99144-5442

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

luciananovaes.com © 2014  Todos os direitos reservados.