Buscar
  • Luciana Novaes

Consulta pública avalia fórmulas nutricionais para crianças com alergia ao leite de vaca


Termina no final de outubro, no dia 30, o prazo para participar da Consulta Pública sobre incorporação de fórmulas nutricionais para crianças com alergia à proteína do leite de vaca.


De acordo com documento publicado recentemente pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias – CONITEC, a intolerância alimentar ocorre devido a componentes tóxicos ou químicos de alimentos ou devido a outras substâncias do próprio organismo do indivíduo.


A alergia alimentar (AA) é uma reação imunológica, na qual estão envolvidas as imunoglobulinas E ou as células T e, em alguns casos, os dois mecanismos. É uma reação imunológica reprodutível, contra um antígeno alimentar específico geralmente proteico.


A alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é o tipo de alergia alimentar mais comum nas crianças até vinte e quatro meses e é caracterizada pela reação do sistema imunológico às proteínas do leite, principalmente à caseína (proteína do coalho) e às proteínas do soro (alfa-lactoalbumina e beta-lactoglobulina) (3,4). É muito raro o seu diagnóstico em indivíduos acima desta idade, visto que há tolerância oral progressiva à proteína do leite de vaca (5,6).


Em países desenvolvidos a suspeita de APLV, a partir dos sintomas clínicos, ocorre em torno de 1 a 17% das crianças. Porém, após a investigação diagnóstica, a prevalência de crianças com APLV oscila de 0,3% a 7,5% até os dois anos, sendo que apenas 0,5% estão em aleitamento materno (7,8,9).


Não há pesquisas ou inquéritos nacionais, nem registros nos sistemas de informação do Ministério da Saúde (MS) sobre o número de crianças com APLV e sua prevalência. No entanto, em agosto de 2012 o MS encaminhou questionário para 178 municípios de médio e grande porte, dos quais 34 responderam, afirmando possuir serviços/programas de atenção nutricional estruturados para acompanhamento de crianças com APLV. Foi identificada média de acompanhamento de 0,4% (0,2% a 0,7%) de crianças com APLV nesses serviços pelo Sistema Único de Saúde (SUS).


Para crianças que apresentam alergia à proteína do leite de vaca, as fórmulas nutricionais para necessidades dietoterápicas específicas são indicadas para garantir todos os nutrientes para crianças menores de 6 meses não amamentadas e complementar os nutrientes provenientes da alimentação para crianças maiores de 6 meses. Dessa forma, a Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde solicitou a apreciação pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS – CONITEC/SCTIE quanto à incorporação das fórmulas nutricionais indicadas para crianças com até 24 meses de idade que apresentam alergia à proteína do leite de vaca.


Na 28ª reunião da CONITEC, realizada em setembro último, os membros deliberaram, por unanimidade, pela incorporação das fórmulas nutricionais para necessidades dietoterápicas específicas indicadas para crianças com alergia à proteína do leite de vaca.

PARA PARTICIPAR ACESSE http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/259-secretaria-sctie/areas-da-sctie/dgits/conitec/l2-conitec/8940-consultas-2014

Fonte: ASBRAN.

#leite #nutrição #alergia #alimentação

1 visualização

Rua Santo Afonso, 44, Sala 801, Tijuca

Rio de Janeiro, RJ, CEP 20511-170

(21) 97677-5190

(21) 2254-8186

Me encontre nas redes sociais.

  • WhatsApp
  • Instagram
  • YouTube
  • Facebook
  • LinkedIn

luciananovaes.com © 2014  Todos os direitos reservados   .   por Nutri Learn